Direito de resposta.

Trilha Sonora: One True Thing – Midwest Kings

 

Você vai ao supermercado pra comprar molho de tomate. Tem um monte de marca de molho de tomate, todos feitos com tomate e com gosto de molho de tomate. Mas você vê qual marca é mais conhecida. Olha a data de validade, vê se a lata está bem fechada, se não tem amassado, se não tem ferrugem. Não vai arriscar uma intoxicação alimentar.

 

Você quer ir ao cinema assistir o novo filme do M. Night Shyamalan. Todo cinema que está passando o novo filme do M. Night Shyamalan vende ingressos como todo cinema, tem uma tela como todo cinema, tem cadeiras como todo cinema, vende pipocas como todo cinema e, claro, tem o novo filme do M. Night Shyamalan completo com legendas. Mas você quer procurar os cinemas mais perto de você. Analisa quanto está o ingresso, vê qual tem um horário de sessão melhor, qual ângulo de cadeira você gosta mais, qual não tenta te ensurdecer. Não vai arriscar perder a sessão, ficar desconfortável ou surdo.

 

Você quer comprar um Fusca clássico da cor azul. Todo fusca clássico da cor azul tem cara de fusca clássico da cor azul, equipamento de fusca, porta-malas de fusca. Mas você quer saber se as peças estão em ordem. Olha se não tem risco na lataria, se o motor está bom. Procura ver os documentos do carro, se tem multas pendentes, se não deu problema com os antigos donos. Não vai arriscar ficar com o volante na mão e a carroceria desmontada na rua como num desenho do Pica-Pau.

 

Um amigo meu me pergunta: “Se vocês mulheres falam que todo homem é igual, por que escolhem tanto?”.

 

Pois é.

agosto 5, 2008. Uncategorized. 7 comentários.

Onde o mundo vai parar?

Trilha Sonora: Wouldn’t it be nice? The Beach Boys

 

Se ela não beija mais de um na balada, não volta feliz pra casa – nem que seja o cara que sua amiga está gostando. Ele tem o lema “barango, mas não zero”. Aquela ali perdeu a virgindade pra um cara que conheceu num bar. Outra perdeu no motel, com um desconhecido do chat na internet. Aquele lá leva as meninas pro carro do pai – se estiver sem proteção, tudo bem, continua mesmo assim. Essa já pensou que estava grávida e estava em dúvida entre dois pais, talvez três. Esse já achou que ia ser pai duas vezes. Outra, então, é mãe solteira de um menino de quatro meses e não abre mão de sair sexta, sábado e domingo pra dançar até o chão com o primeiro que oferece uma bebida.

 

O namorado de uma semana daquela ali é o amor eterno da vida dela – assim como foram os cinco últimos do semestre passado. Esse aqui então não gosta da ficante, mas não termina porque acha que logo logo ela vai pra cama com ele. Os dois ali de 19 anos namoram há três meses e vão casar – “Se não der certo, tudo bem, fazer o quê”, dizem com ar de apaixonado. Aquela lá diz com orgulho “solteira sim, sozinha nunca”. Essa outra diz que quer ser freira – mas não hesita em mentir para a mãe que está indo pra igreja enquanto vai dormir com o menino que vigia carros na rua da mesma (“não estou deixando de ir pro caminho da igreja…”).

 

Só eu que me dou o respeito, que penso que o menino tem que ser O cara e não só UM cara? Só eu que acho que coisas como auto-respeito, cavalheirismo e pureza são coisas que não podiam estar entrando em extinção?

 

Eu me valorizo. Eu sonho encontrar um cara que me ame de verdade. Eu quero caminhar de mãos dadas e inventar o futuro. Eu quero esperar o momento certo. Eu pretendo casar com a certeza de que será pra sempre. Eu escolho, eu peso, eu sou tentada, eu analiso, eu recuso, eu sinto. Caretice? Irreal? Ilusão? Papo de encalhada? Cabeça nos anos 40?

 

Ser centrada está fora de moda? Só eu penso que a juventude está perdida?

 

Minha moral vem em primeiro lugar.

 

(Essas histórias não são invenções da minha cabeça. Conheço cada uma dessas pessoas)

agosto 2, 2008. Uncategorized. 1 comentário.

D.R.

Trilha Sonora: Cry For You – September

Vamos discutir a relação? Não não, nem vem com essa cara de “Mas que coisa chata”. Posso falar? Foi tudo culpa sua. Foi mesmo e você sabe disso. Tá bom, eu te olhei primeiro e pensei: “Nossa, que bonitinho”, mas isso não vem ao caso. Nunca pensei que sairíamos dessa paquerinha saudável. E quem resolveu colocar as garrinhas de fora foi você, meu bem.

Você foi o primeiro a puxar assunto. E foi simpático, mas é assim mesmo. Somos pessoas educadas e não tínhamos motivo algum para nos tratar de outra forma. Foi aí que começamos a descobrir como tínhamos coisas em comum. Mas naquela época, eu gostava de outro e você não tinha a menor intenção de ter algo comigo. Ou tinha?

Não, não quero ouvir a sua voz. Fica quietinho que quem vai falar hoje sou eu. Me explica porque depois de um ano você reaparece do nada, em um sábado a noite, e começa a falar coisas que você nunca tinha falado antes? Era brincadeira né? Também pensei que sim, talvez seja por isso que eu me rendi aos seus encantos. Só que no dia seguinte você voltou a tocar no assunto, no outro dia também e assim foi. Por meses.

Eu sou bobinha e você sabe disso. Passava por uma fase difícil e disso você não fazia idéia. Não passava nem pelo seu pensamento o quanto aquilo tudo significava para mim. Já não era mais brincadeira, vai? Estava ficando sério. Eu tinha perdido totalmente a vergonha do seu lado e pensar que éramos quase como amantes… Só que aquela vontadinha normal que eu tinha ficou intensa.

Então chegou o dia de botar as nossas conversas em prática. Não vem fazer cara feia, queridinho, não vou deixar você falar hoje. Me pergunto até hoje se você sentiu o que eu senti. As vezes acho que sim, as vezes não. E quer saber? Já não me importa mais. Amor, você se queimou sozinho. Achou que ficaríamos para sempre conversando e nos provocando? Não. Talvez para você isso seja um costume, mas não para mim. E também não sei por que me preocupo tanto com isso, talvez por sermos tão telepáticos um com o outro.

Mas agora chega! A fila vai andar, benzinho. Pode levantar desse sofá. Levanta logo, caramba! Pega suas coisas lá em cima, mas não demora. Leva tudo, desde as roupas até as lembranças ruins. Deixa só as coisas boas e saudáveis que não vão mais causar dor. Pegou tudo, querido? Sim? Então volta aqui. Antes de você ir quero que você saiba que eu vou lembrar sempre de você. Você sabe quais são os nossos maiores problemas e se eu não te deixei falar é porque não quero cair de novo na sua conversa. A vida não se resume àquilo que fazíamos e fizemos, embora tenha sido realmente bom. Vou me preocupar agora comigo e só comigo. Espero que você faça o mesmo.

Adeus, Amor. Até um dia, não sei quando, mas até um dia. Quem sabe a gente não se esbarra por aí né?

julho 23, 2008. Uncategorized. 5 comentários.

À primeira vista

Trilha Sonora: I Consume you – Rediscover

 

Estava com minhas amigas passeando no shopping quando o vi. Atração instantânea, paixão à primeira vista, se preferir. Já senti algo parecido outras vezes, mas não com aquela intensidade – vontade de tocar, de possuir, de estar junto quando tivesse vontade.

 

Me aproximei. Vi que outras garotas olhavam com a mesma faísca no olhar, que até apontavam para comentar com outras. Outras ainda observavam como se fosse um simples objeto. Puro charme. Parado, fazia o intenso de seu negro olhar chamar a atenção entre os outros que estavam ali.

 

Não tive coragem para tentar um contato maior. Isto foi no final de maio. Por várias vezes me peguei pensando naquele momento com certo arrependimento. Por outras, quando percebia, já estava procurando-o com o olhar. Teria perdido uma chance única na vida? O tempo passou e eu conseguia passar semanas sem pensar no que havia acontecido. Mas esquecer totalmente? Nunca.

 

Então ontem, quando menos esperei, ao entrar em outro shopping, o sentimento veio à tona com toda força. Será? Estaria ali mesmo, discreto, escondido, praticamente como um sonho de consumo?

 

Dessa vez, não pensei duas vezes. Não poderia ser coincidência este reencontro, só podia ser obra do destino! Cheguei perto com passos rápidos. Sorri. Desta vez não se destacava entre os outros, estava até um pouco alheio à confusão que se dava à sua volta. Ainda assim, emanava para mim a mesma magia de meses atrás. Puxei-o delicadamente, envolvi em meus braços. “Você ficará comigo a partir de agora”, pensei.

 

Mal acreditei quando vi que ali era a prateleira da liquidação e que estava com 50% de desconto! Hoje sou feliz com a bolsa que comprei e… é ué, o objeto a que eu me referia era uma bolsa… o que vocês estavam pensando??

julho 12, 2008. Uncategorized. 2 comentários.

“No escurinho do cinema…”

Trilha Sonora: Flagra – Rita Lee

Fui no cinema ontem ver Agente 86 com meus pais. Programa bem família, lindo, com direito a uma discussão “ahh eu quero a promoção que vem a sacola do Sex and the City” e, como resultado, a compra de um Mentos de frutas. Mas isso não vem ao caso.

Já na fila reparei. Havia um casal. Ela com blusa de balada, escova no cabelo, óculos de armação verde, bolsa a tiracolo. Ele com regata branca (uiquenojodiga-sedepassagem), bermuda e mochila. Conversavam animadamente sobre um amigo enquanto esperavam a fila andar. A fila andou, compraram, entraram.

Comprei minha entrada, entrei na sala, escolhi o meu lugar cuidadosamente à procura do ângulo perfeito de visão da tela – mudando de lugar 2 vezes até não ficar satisfeita, e sim até ser obrigada pela minha mãe (“sossega e senta de uma vez, menina”). Sentei e descobri o motivo pelo qual eu não achava o lugar que eu gosto, localizado na fileira da frente: o tal casal estava lá.

Garota – “Cara, nem sei!! Sério, não sabia o que fazer!”

Garoto – “Eu acho que devia ser assim, véio!”

Apagaram-se as luzes, começou o filme. Ela deita no ombro dele. Ele passa o braço em volta dela. Dez minutos depois, começam a se agarrar loucamente. O filme todo. E fazendo barulhos ( ! ), intercalando um “te amo” vez ou outra.

Acaba o filme.

Garota – “Manoo, acabou o filme”

Garoto – “Então vamos” – levanta e sai sozinho, enquanto a menina, sentada, arruma o cabelo.

Ahh o amor… ¬¬

julho 1, 2008. Uncategorized. 1 comentário.

Mudanças

Trilha Sonora: Changes – Butterfly Boucher

Não, não cortamos os pulsos, não nos jogamos pela janela do 5º andar, não fugimos para um retiro espiritual em Dubai. Sobrevivemos ao Dia dos Namorados, sobrevivemos aos trabalhos de fim de semestre. Agora a atenção pode voltar ao nosso querido Cubicularis!

Mudar é bom. Mudar o cabelo, mudar o celular, mudar o lanche pedido no McDonalds, mudar velhas concepções. Até mudar a cabeça e cogitar mudar sem conseguir também é. E é a favor da mudança que o Cubs ganhou um novo template, mais light, mais delicado, menos seco.

Tem post novo aí embaixo e existe a pretensão de mudar esse costume de postar muito de vez em quando.

Em tempo: O wordpress batizou esse template como Fresh Bananas. Se alguém puder explicar o motivo, agredecemos.

junho 27, 2008. Uncategorized. 2 comentários.

Você…?

Trilha Sonora: Perhaps, perhaps, perhaps – Geri Halliwell

 

Você gostaria de mudar o seu cabelo? E de perder alguns quilinhos?

Parabéns, você é humano.

 

Você gosta de entrar em lojas só pra olhar? Você se apaixona por alguma coisa no shopping e só sossega se comprar?

Parabéns, você é um pouco consumista.

 

Você às vezes se sente deprimido, carente, mesmo que sem motivo aparente?

Parabéns, você é sentimental.

 

Você sabe/acha/finge que chocolate levanta o astral?

Parabéns, você é um pouco chocólatra.

 

Você repara no que os outros vestem, comentam e fazem?

Parabéns, você é detalhista.

 

Você comenta o que os outros vestem, comentam e fazem para terceiros?

Parabéns, você é uma pessoa meio fofoqueira.

 

Você vê uma pessoa e, às vezes mesmo sem conhecê-la, garante que é a pessoa dos seus sonhos?

Parabéns, você é uma pessoa platônica.

 

Você imagina o nome dos filhos que você terá com essa pessoa? E se pergunta se os sobrenomes juntos combinam?

Parabéns, você é sonhador.

 

Você inventa como seria o dia em que essa pessoa iria se declarar a você, inclusive as ações e palavras tanto delas quanto suas?

Parabéns, você é uma pessoa idealista.

 

Você acha lindo quando uma pessoa trata com carinho uma criança ou um idoso?

Parabéns, você é sensível.

 

Você tem vontade de fazer as malas e ir atrás de alguém só porque deu saudade?

Parabéns, você é quase impulsivo.

 

Você diz que quer casar com uma pessoa rica?

Parabéns, você parece ser interesseiro.

 

Você sabe que sinceramente você só quer uma pessoa que te ame de verdade?

Parabéns, você é uma pessoa romântica.

 

Você respondeu sim para a maioria das perguntas e pensou em outras questões?

Parabéns, você é uma garota. Sim, nós também somos como você. Bem vinda ao clube! =]

junho 27, 2008. Uncategorized. 1 comentário.

E quem pensa nos solteiros?

Trilha Sonora: Não tem. Porque ou tudo é lindo e maravilhoso quando você namora ou você tá solteiro, logo feliz!

Excepcionalmente teremos três textos falando sobre o mesmo assunto para mostrar como as nossas visões sobre o dia dos namorados são diferentes.

 

Hoje é dia dos namorados! Ah que maravilha, todo mundo está feliz e contente. O dia até parece que está mais ensolarado, tudo é tão lindo… Já comprei o presente dele, já recebi o buquê de rosas lindas e nós já marcamos o nosso jantar. A noite promete! Quem, num dia tão cor de rosa como esse, poderia se sentir triste?

Simples, amigos. Os solteiros! Ninguém pensa em nós. A desculpa de “o dia dos solteiros é todo o resto do ano” não cola porque é totalmente diferente. Não vamos ganhar a flor de chocolate que tinha na loja, nem cartinhas fofas, nem correio elegante, não vamos ganhar nada. Mas é fácil. É só seguir o manual aqui embaixo e o dia passa rapadinho. Certo? Errado.

Se dependesse de nós, com certeza teríamos sucesso. Mas o mundo conspira negativamente. Setenta por cento da sua lista no orkut tem o campo relacionamento preenchido com “namorando/casado(a)”. As propagandas são todas dedicadas aos casais fofos e felizes. Agora, nesse exato minuto, passa um especial dia dos namorados na Grande Família. Acompanhados pagam menos na balada. Mas nada, nada disso mesmo, se compara a essas duas cenas reais que aconteceram comigo.

Primeiro quando eu liguei para a minha avó, que mora longe, e contei que já tava terminando a faculdade. A resposta dela foi: “Tá, tá…Mas e o namorado? Ah não tem?”. Outra pessoa me ligou e antes de perguntar se eu estava bem, falou: “Mas você ainda não arrumou um namorado? Caramba hein!”.

Acabo de receber um scrap desejando um Feliz Dia dos Namorados. Minhas amigas discutiram sobre sogras na aula hoje. O menino feio foi se encontrar hoje com a namorada. Encontrei hoje de tarde um grupo de cinco amigas saindo do trabalho e uma delas gritou: “Meninas, não se esqueçam da camisinha viu? ” E eu, que em vinte anos de vida passei vinte dias dos namorados sem ninguém? E nós, solteiros que não temos quem nos ligue nem que seja para nos falar um mísero “oi”?

Muito provavelmente vocês devem pensar que eu odeio com todas as letras o dia dos namorados já que eu nunca passei um acompanhada. Mentira pura. Sabe por quê? Porque eu acho que essa data, além de egoísta, é puramente comercial. Se você tem um namorado, você muito provavelmente sabe a data em que vocês começaram a namorar. Então que essa seja a data do dia dos namorados para vocês dois.

Criar uma data universal para os namorados? Ah, vamos parar com isso… Ou fazer como lá fora, amigos também podem comemorar o Valentine’s Day. O que importa não é fazer loucuras com o seu amor, é mostrar o quanto você ama uma pessoa – seja seu namorado, seu amigo ou seu cachorro.

Olha, casais fofinhos, eu desejo que vocês tenham um bom dia. Não é nada pessoal. Mas sabem como é né, quando é que vão pensar nos solteiros também? Não. Não o solteiro “Sou praieiro, sou guerreiro”. Um solteiro na dele, que só quer ter um reconhecimento merecido.

Só isso. Nada mais.                                  

junho 13, 2008. Uncategorized. 1 comentário.

Plano de 7 passos para driblar o famoso dia

Trilha Sonora: Down with love – Down with love movie track

 

Manual para esquecer que hoje é Dia dos Namorados – ou pelo menos para sobreviver a ele…

 

1 – Procura um filme pra assistir. Não, comédia romântica não vale! Ou procura um drama bem drama – pra você pensar “gente, como eu tenho sorte de não ter uma doença terminal/ morar em Ruanda/ me alistar e morrer no Vietnã!” – ou procura um terror daqueles “ainda bem que não existe um serial killer aqui na minha faculdade/ um espírito japonês vingativo saindo da minha televisão/ um monstro deformado me matando através dos sonhos”. Conseqüentemente, você não pensa em “por que eu não tenho um namorado para fazer uma declaração aos quatro ventos/ andar de mãos dadas no Empire State/ falar qualquer bobeirinha e achar romântico?”.

 

2 – Pegue duas panelas. Em uma você coloca pipoca, manteiga e óleo, coloca no fogão e espera estourar. Em outra você coloca manteiga, chocolate e leite condensado e mexe até soltar do fundo. Voilà: pipoca e brigadeiro de colher, as melhores comidas para o momento.

 

3 – Aproveita o clima da estação com gosto. Coloque o seu pijama – não, não aquele novinho para viagem nem o sexy de seda! Coloque aquele de moletom que você tem há anos, que está todo puído e, conseqüentemente, super confortável. Não esqueça do edredon, ele é peça chave no esquema de camadas “sofá-edredon-você- edredon”!

 

4 – Não abra a internet nem ligue a televisão nos canais, vai direto pro DVD! O que você menos precisa agora é ver a promoção “compre um celular e ganhe 527892139 minutos em ligações para seu amor” ou a “Sonho de Valsa trufa: o amor tem esse sabor” (by the way, tem nada. Só trufa tem gosto de trufa e amor tem gosto de nada, é um substantivo abstrato, oras)

 

5 – Se você tiver que sair na rua neste dia, concentre-se na calçada! Em primeiro lugar, você não é obrigada a ver todas as milhões de propagandas e carinhas bobas e felizes e sacolinhas de presentes das lojas que você gosta em mão que não é sua. Em segundo lugar, você não corre o risco de cair, torcer o pé, pisar em cocô de cachorro. Além disto, você ainda pode encontrar de brinde uma moeda perdida de 10 centavos! – e sabe o que reza a lenda: Se você acha uma moeda, é porque um anjo sorriu pra você. E um sorriso direcionado a você é sempre bom, principalmente hoje!

 

6 – Dê prioridade às pessoas que estão na mesma situação que você! As amigas encalhadas e as solteiras convictas são as melhores companhias hoje! Troque o nhenhenhém de “nhaa hoje vou sair com o meu namorado lindo!” e a chatice de “owwn você não sabe que presente fofo que fiz pra ele!!” pelo “antes só que mal acompanhada” e pelo “ahh engole esse presente, sufoca e morre”!

 

7 – Se nada disso funcionar, pense no mantra: “estou economizando o dinheiro do presente, da roupa, do cabeleireiro, da depiladora, do restaurante, da conta de telefone. Não preciso queimar neurônio com idéia mirabolante e original de presente. Não preciso aturar alguém nos outros dias do ano vigiando a minha vida. Não preciso me conter para olhar um homem bonito. Não preciso desse dia para ser feliz o tempo todo!”

junho 12, 2008. Uncategorized. Deixe um comentário.

Exóticos, mas felizes. Quem diria?

Confesso que eu já estava indo dormir, quando resolvi digitar “Dia dos Namorados” no Google Imagens. Ah, amanhã é o grande dia, sabe como é, quis saber se tinha alguma figura bonitinha por lá, se ia dar pra fazer um post legal.

 

E minha gente… sabe aquelas conversas que você tem com as suas amigas sobre o casal meloso da faculdade? Aqueles dois com quem você nunca falou, mas que só de ver no corredor, de longe, já dá pra sentir a fita adesiva, o grude, a cola?

 

Não sei quem é o autor, mas depois disso, todas as idéias que eu tinha para hoje se esvaíram. Com crédito total e inspiração absurda na Desiluminância, dedico o post do Dia dos Namorados a… os siameses!

 

 

 

Os siameses são fofinhos, são nhenhen, mimi e tudo mais de exageradamente fofo que houver pelo mundo. Eles não se desgrudam nem por um minuto. Andam agarrados, passos sincronizados. Trocam de aliança três vezes por ano. Cada vez por uma mais grossa. Podem namorar há anos, mas se tratam como se estivessem no segundo mês.

 

Na sala de aula, ele segura a mão dela. O tempo todo. Passa a mão no cabelo, no ombro, na cintura. Os trabalhos, todos juntos. No laboratório de informática, ele fica olhando ela digitar. Ela olha de volta e dá um sorriso meloso. Todos os dias. Inclusive aos finais de semana, sem aulas. A cada mês de namoro, um presentinho, uma lembrancinha, uma cartinha. Tudo bem inho.

 

É. É o amor, quem é que vai dizer que não? Eles merecem, minha gente. Eles merecem³. Um Feliz Dia dos Namorados aos siameses de todo o mundo!

 

junho 12, 2008. Uncategorized. 3 comentários.

Próxima Página »